Categorias
Pense nisso...

2017… Um breve registro no tempo

Hoje eu brinco de dobrar o espaço e o tempo, ouso apertar o pause na tentativa frustrada de parar essas dimensões, e de alguma forma entender o que aconteceu nesse último ano, mas ele insiste em não funcionar, o máximo que consigo é diminuir a velocidade. Na tentativa de acessar aquelas sequencias lógicas de imagens, sensações e sentimentos, que ficaram gravados em algum lugar nessa vasta escuridão preenchida com pequenos lotes de vida e energia, eu me pego acessando pequenos fragmentos de tempo que ficaram registrados e arquivados em prateleiras digitais. 

Categorias
Pense nisso...

Infinitas realidades

por-do-sol

“Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito.”
– William Blake

Uma pequena reflexão…

Infinito, o que não tem limites, não tem início e nem fim. Palavra simples que representa todas as dimensões de nossa vida e do universo como o conhecemos,

Categorias
Pense nisso...

Deixe passar e faça a sua escolha

noite_lua_cheia

Essa ilusão que nos impede de viver, essa tentativa de delimitar o infinito, de tentar compreender o que precisaríamos apenas sentir. Toda essa nossa tentativa de analisar e planejar acaba se enfraquecendo conforme ele passa, aquele eu, aquele você, não existem mais e nem existirão conforme imaginamos no agora. Todo nosso esforço tentando controla-lo acabamos por desperdiça-lo, ao observa-lo temos a chance de aprender, ao ignora-lo temos a chance de viver. Ficou confuso? Estou falando do tempo.

Já tentou se imaginar sem as concepções de tempo pré-estabelecidas pela sociedade? Como seria sua vida se fosse viver fora das regras do jogo?

Imagine-se sem um relógio, imagine que você precise viver durante uma semana sem saber o horário atual, qual seria sua primeira preocupação? Como acordar para ir ao trabalho? Quando comer? Quanto tempo ficar na academia? Quantas páginas daquele livro eu devo ler? Quando aquela reunião chata vai acabar? Quantas horas para o próximo final de semana? Já devo ir dormir?

Fácil? Mais ou menos, então se imagine em um mundo sem relógios, conseguiríamos nos organizar? Agora parece que complicou, mas ainda está fácil, se imagine um mundo sem calendários e sem relógios, ninguém sabe e nunca ouviu falar, temos apenas um dia após o outro, e nesse mundo ninguém tem noção de quanto tempo ainda tem de vida, quais seriam os seus planos? Quais seriam as suas preocupações? Aquela birrinha ainda faria sentido? Ficaria preocupado com o passado? Passaria o dia todo reclamando ou aproveitaria cada momento que lhe resta? Aquela tarde de sol pode ter sido a última, aquela lua cheia nascendo pode ter sido a mais bela, aquela viagem não pode esperar, deixe passar e faça a sua escolha.

Tudo isso parece não fazer muito sentido, mas repare quanta energia gastamos tentando controlar o que não podemos. Viver ignorando o tempo me parece estupidez, mas podemos aprender com ele, podemos entendê-lo e usa-lo ao nosso favor, um passo de cada vez em direção ao que nos faz melhor, nos faz crescer e nos ensina a viver.

O vídeo abaixo nos ensina que podemos aprender com quem menos esperamos.


 

14 anos

[youtube id=”Kg1ohCFWYto” align=”center” mode=”normal” autoplay=”no” maxwidth=”768″]

 

Francisco Ribeiro de Oliveira

Categorias
Pense nisso...

Feliz dia novo

Toda história começa com um sonho. Por mais difícil que seja, continue sonhando.
Toda história começa com um sonho. Por mais difícil que seja, continue sonhando.

Vamos voltar um pouco no tempo, mais precisamente para 31/12/2012, poucas palavras que escrevi antes de um dia novo,  que já ficou pra trás, mas vale a pena relembrar.

Categorias
Pense nisso...

Esperança ou esperança

Esperança

Quantas vezes você já ouviu o ditado “a esperança é a última que morre”? E olha que esperança não é a sua sogra… ba dum ts… 🙂

Dessas vezes, quantas você parou para pensar sobre o real significado da palavra esperança?
Nenhuma?! Eu também, o que muitas vezes me levou ao entendimento errado, me levou a esperar, falar por falar, ficar sentando e não agir.
No vídeo abaixo o professor Mario Sergio Cortella fala um pouco sobre o assunto.